segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Cristiano Ronaldo é eleito melhor jogador do mundo em 2016 pela Fifa


O português Cristiano Ronaldo, três vezes vencedor da Bola de Ouro e campeão europeu com Real Madrid e Portugal, conquistou sem surpresas o prêmio Fifa de melhor jogador do mundo em 2016, nesta segunda-feira, em Zurique.
O atacante de 31 anos foi logicamente recompensado por comandar com muitos gols o Real Madrid e a seleção portuguesa aos títulos da Liga dos Campeões e da Eurocopa no ano passado.
"Que coisa linda, muito obrigado", agradeceu um sorridente CR7, vestindo um vistoso terno azul. "Foi o melhor ano da minha carreira. Havia algumas dúvidas, mas esse prêmio mostra que as pessoas não são cegas, assistem futebol. Estou muito orgulhoso, preciso agradecer muito aos meus companheiros do Real Madrid e da seleção de Portugal".
O português conquistou, assim, pela primeira vez o inédito prêmio "The Best" da Fifa, criado após a Bola de Ouro voltar a ser organizada somente pela France Football, após 10 anos de parceria com a entidade que rege o futebol. Em 12 de dezembro, CR7 já havia recebido o prêmio da revista francesa.
Os outros finalistas do prêmio eram o eterno rival de Cristiano Ronaldo, o argentino Lionel Messi, campeão espanhol com o Barcelona, e o francês Antoine Griezmann, finalista da Liga dos Campeões com o Atlético de Madri e da Eurocopa com a França.

Messi e Barça ausentes

Com o Real Madrid, CR7 venceu em 2016 a Liga do Campeões, a Supercopa da Europa e o Mundial de Clubes. Com a seleção portuguesa, Ronaldo venceu o primeiro título da história de Portugal, a Eurocopa.
Ronaldo venceu a Bola de Ouro e foi eleito pela UEFA o melhor jogador do ano, além de ser o artilheiro da Liga do Campeões.
Também foi o máximo goleador e melhor jogador do Mundial de Clubes, vencido pela equipe merengue em dezembro. O Real venceu por 4 a 2 na prorrogação e o craque português marcou três vezes.
Ronaldo se tornou o primeiro jogador a receber o "The Best", o novo prêmio que FIFA oferece aos melhores do ano, depois que a organização e a revista francesa France Football não renovarem o acordo para organizarem a Bola de Ouro juntos.
Nas votações entre os capitães e os treinadores, Ronaldo se impôs com 34,54% dos votos. Messi conseguiu 26,42% e Griezmann 7,53%.
O argentino e seus companheiro de Barcelona Iniesta, Piquet e Suárez, não compareceram à cerimônia. Os jogadores estariam se preparando para o jogo de volta da Copa do Rei, na quarta-feira, contra o Athletic Club de Bilbao.
"Lamento que alguns jogadores do Barça não estejam aqui com nós. É compreensível, eles tem um jogo importante", disse o astro da noite ao finalizar o discurso.

34,54% dos votos

Ronaldo já tinha vencido a quarta Bola de Ouro no dia 12 de dezembro, ficando a apenas uma de seu arquirrival Lionel Messi. Os dois foram os únicos eleitos os melhores do mundo nos últimos 10 anos.
O prêmio de melhor treinador ficou o técnico italiano Claudio Ranieri, campeão da Premier League com o modesto Leicester.
O italiano de 65 anos superou na eleição o francês Zinedine Zidane, campeão da Liga dos Campeões com o Real Madrid, e o português Fernando Santos, que venceu a Eurocopa com a seleção de Portugal.
"É uma noite fantástica. Só estar aqui, rodeado por todas essas lendas do futebol. Sem eles, seria impossível estar aqui", disse Ranieri ao receber o prêmio das mãos do ex-craque argentino Diego Maradona.
Na categoria feminina, a americana Carli Lloyd foi eleita pela segunda vez seguida como melhor jogadora. A técnica alemã Silvia Neid venceu pela terceira vez consecutiva.

Atlético Nacional e Falcão

O futebol sul-americano também teve seu momento de glória em Zurique. O Atlético Nacional recebeu o prêmio "Fair-Play", depois de pedir à Conmebol que o título da Copa Sul-Americana fosse dado à Chapecoense depois do acidente de avião de novembro que praticamente dizimou o time catarinense.
"Fizemos o que tínhamos que fazer, que era reconhecer um time que não teve a oportunidade de disputar essa final", assegurou o presidente do clube colombiano, Juan Carlos de La Cuesta, ao receber o prêmio das mãos do espanhol Charles Puyol.
O malásio Mohd Faiz Subri venceu o prêmio Puskas de gol mais bonito e as torcidas de Liverpool e Borussia Dortmund dividiram o prêmio de melhor torcida depois de cantarem juntas o tradicional "You'll never walk alone" para homenagear o 27° aniversário da tragédia de Hillsborough.
A seleção de 2016 foi dominada por jogadores de Real Madrid e Barcelona: Manuel Neuer (ALE/Bayern de Munique) - Dani Alves (BRA/Juventus), Gerard Piqué (ESP/Barcelona), Sergio Ramos (ESP/Real Madrid), Marcelo (BRA/Real Madrid) - Luka Modric (CRO/Real Madrid), Toni Kroos (ALE/Real Madrid), Andres Iniesta (ESP/Barcelona) - Lionel Messi (ARG/Barcelona), Luis Suarez (URU/Barcelona), Cristiano Ronaldo (POR/Real Madrid).

Fonte: Yahoo Notícias