quarta-feira, 7 de setembro de 2016

07 de Setembro dia de São Clodoaldo

São Clodoaldo
O nome Clodoaldo se prende à dinastia francesa dos primeiros séculos de sua organização política. De fato, nela encontramos freqüentemente repetidos os nomes de Clodoveu, Clotário, Clodomiro, Clotilde, Clodoaldo, etc.
Entre o santo de hoje e as personagens que lançaram as bases da nação francesa não há somente identidade de nome, mas verdadeiro parentesco de sangue.
A França, no berço de sua formação social e política, teve a sorte de contar com homens extraordinários por santidade e ação vigorosa. Basta pensar em São Martinho de Tours, Santo Hilário de Poitiers, Santo Honorato, fundador do famoso mosteiro de Lérins, São Cesário de Aries, etc. Nos séculos V e VI a Igreja da França se consolidou por obra de São Remígio, São Gregório de Tours, São Columbano, São Venâncio Fortunato, dando seus frutos com a conversão do primeiro rei da França, Clodoveu, cujo exemplo teve um influxo extraordinariamente benéfico na difusão do Cristianismo naquela nação.
Foi com razão a França chamada à primeira nação cristã surgida dos povos bárbaros, no início da Idade Média. Por este motivo, a França se orgulha de ser chamada Filha Primogênita da Igreja.
Clodoaldo nasceu por volta do ano 530. Era neto do primeiro rei da França, Clodoveu, convertido ao Cristianismo por obra de sua santa esposa Clotilde. Da santa avó, Clodoaldo recebeu uma ótima
educação cristã. 
Seu pai, Clodomiro, era rei de Orléans. Mas, a infância de Clodoaldo foi tristemente marcada pelo horroroso massacre de seus irmãos por obra de pagãos rebeldes e inimigos políticos do pai. Clodoaldo foi conservado oculto por alguns homens fiéis ao rei, e pôde salvar-se da chacina.
Chegando à idade adulta, após ter desempenhado na corte ofícios e cargos de importância, Clodoaldo não pensou em vingança contra os assassinos dos irmãos nem sequer pensou em empunhar a espada, a fim de recuperar os direitos legais e governar em lugar do pai, mas quis consagrar sua vida ao ideal monástico, sacerdotal e missionário.
Cortou os longos cabelos, que eram um sinal de autoridade e virilidade nos povos daqueles tempos, renunciando com este gesto a seus direitos ao trono.
Dedicou-se com amor e sacrifício aos compromissos do estado monástico e sacerdotal, continuando a obra de evangelização entre os redutos pagãos daquela sociedade em formação. Pouco se conhece de sua atividade monástica, se abraçou a Regra de São Bento ou de São Columbano, ou se talvez pertenceu a um dos antigos mosteiros fundados por São Martinho de Tours. A tradição nos deixou como certo que Clodoaldo viveu com intensidade heróica sua vida religiosa monástica e fecundou seu sacerdócio, conforme o espírito missionário dos monges da Idade Média.
São Clodoaldo morreu por volta do ano 600, Ele faleceu na região de Nogent, perto de Paris, onde surgiu uma igreja em sua memória. Sua veneração foi vivamente cultivada nas antigas povoações cristãs da França. Em Paris, um dos maiores quarteirões conserva ainda hoje o nome de Clodoaldo na forma popular de São Cloud.
A Igreja reconheceu a validade deste culto e incluiu seu nome no Martirológio Romano. Clodoaldo é o primeiro príncipe francês elevado à honra dos altares e representa de certa maneira para os franceses o duplo ideal do cristão perfeito e do príncipe valoroso: símbolo da primavera da Igreja da França. Ele é um dos mais antigos exemplos da infalível retidão da Igreja, em exaltar seus melhores filhos, acima das contingências históricas ou políticas.
O testemunho de São Clodoaldo está no ato de que ele mostrou ser um exemplo de vida nova, onde anulou o sentimento de vingança , e procurou rezar para que seja promovida a paz aonde quer que se encontre. 

SÃO CLODOALDO,ROGAI POR NÓS!