quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Radiação reduz em 34% ovos viáveis do mosquito transmissor da dengue e Zika


A soltura de mosquitos irradiados fez reduzir em 34% o número de ovos de Aedes aegypti viáveis na Vila da Praia da Conceição, em Fernando de Noronha. A ideia é tornar, por meio da radiação, os insetos inférteis. 
A esterilização com radiação faz parte de um projeto de pesquisa da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).  
A estratégia consiste em expor mosquitos machos a uma dose controlada de radiação gama dentro do laboratório. A radiação tem de ser suficiente para torná-los estéreis, mas não afetar sua capacidade de se locomover e copular.  
Ao soltar os mosquitos no meio ambiente, eles vão competir com os machos selvagens pela cópula com as fêmeas. As fêmeas que copulam com o mosquito irradiado vão botar ovos dos quais não vão eclodir as larvas do mosquito. 
Dessa forma, a população total de mosquitos deve diminuir progressivamente, reduzindo também a transmissão dos vírus da dengue, zika, chikungunya e febre amarela.  
Até dezembro, a ideia é expandir para toda a ilha de Fernando de Noronha. Se os resultados continuarem positivos, o objetivo é iniciar também em bairros do Recife.

Fonte: Yahoo Notícias